Destino da vida: os esforços realmente podem mudar o destino?

03/11/2019
7 minutos a ler

Um empresário no trabalho

Por Baoai

Após o jantar, uma mãe e seu filho estavam conversando sobre o trabalho do filho. Ele desabafou, “Que pena! Se meu pai ainda estivesse vivo, com certeza ele acharia um bom trabalho para mim”. Quando a mãe ouviu sua reclamação, ela ficou com um gosto amargo na boca. Ela tinha tanto para lhe dizer, mas não sabia por onde começar. Após um instante, ela disse com sinceridade, “Meu filho, não se preocupe. Vou lhe contar a história de dois universitários formados”.

No final dos anos 80, Zheng Qiang e Zhou Hongxia, que antes viviam milhares de quilômetros longe um do outro, entraram na mesma universidade. Zheng Qiang era um menino talentoso, que era o chefe de propaganda da universidade, e Hongxi era uma menina honesta e simples. Quando estavam acabando a universidade, se apaixonaram um pelo outro. Mas os pais de Zheng Qiang discordavam, pois desprezavam a família pobre de Hongxia. Mesmo assim, os dois ficaram juntos apesar das objeções de seus pais. Após a formatura, eles foram designados ao mesmo município da escola de ensino fundamental da cidade natal de Zheng Qiang. Um ano depois, eles se casaram. Os pais de Zheng Qiang lhe deram um pouco de dinheiro para comprarem utensílios domésticos. Eles viveram uma vida pobre mas feliz.

Dois anos mais tarde, seu primeiro filho nasceu. A pressão financeira ficou mais pesada. Então Zheng Qiang teve uma ideia desafiadora: meu salário é muito baixo, eu posso me transferir para as organizações de segurança pública para ganhar mais dinheiro. Hongxia concordou com sua proposta de uma vez. Então começaram a fazer planos. Eles exploraram conexões e pegaram dinheiro emprestado para enviar presentes. Contudo, foi tudo em vão.

Eles não estavam dispostos a desistirem. Eles pensavam: por que não nos transferimos a um ensino médio de elite na cidade? Os pagamentos por lições de recuperação lá são altos e outros benefícios também são bons. E nós temos um parente que pode nos ajudar. Mais tarde, com os esforços do parente, a tentativa deles finalmente deu resultado, e a condição era que o diretor do Zheng Qiang o deixasse ir embora. Zheng Qiang ficou muito satisfeito com esse resultado. Mas ele achou que era simples demais. O diretor não concordou, porque Zheng Qiang era a força da escola. Não importava quantas palavras boas eles dissessem, o diretor não o permitiria deixar a escola. O casal ficou chateado com isso. Eles poderiam ter sucedido, mas o ponto era que não conseguiram porque não tinham a permissão do diretor. Infelizmente, eles teriam que esperar que o Céu lhes desse uma chance.

Um dia, eles ouviram uma ótima notícia: a escola seria transferida à cidade para o próximo período e se tornaria um ensino médio vocacional. Zheng Qiang podia tomar essa chance para transferir ao ensino médio de elite, e o diretor não poderia impedi-lo mais. Zheng Qiang e Hongxia estavam tão animados que mal podiam dormir naquela noite. Contudo, durante o período, a escola esqueceu completamente de avisar um dos alunos de Zheng Qiang sobre o exame físico. Os pais do aluno discutiram com a escola. O diretor não queria que a sua escola levasse a culpa, então ele afirmou que foi erro de Zheng Qiang e ele era culpado. Então seu relacionamento piorou. O que foi ainda mais inesperado foi que o diretor foi promovido como diretor do ensino médio de elite. Três anos mais tarde, o novo diretor concordou em deixar Zheng Qiang entrar no ensino médio de elite formalmente no período seguinte. Contudo, o inesperado sempre acontece. Um acidente levou a vida de Zheng Qiang. Ele deixou este mundo para sempre com seu sonho irrealizado, deixando para trás o arrependimento à Hongxia. Ela só conseguia continuar vivendo por seu filho.

Neste ponto da história, a mãe se levantou e buscou dois diplomas universitários vermelhos e mostrou para o filho. O filho ficou atônito, e então percebeu que a mãe estava contando sua própria história. Os olhos do filho se umedeceram. Ele olhou para sua mãe, cujos cabelos haviam se tornado grisalhos, e disse, “Mãe, eu entendo. Eu não imaginava que você tivesse vivido tão duro. Esse é simplesmente o destino do meu pai”. A mãe acenou com a cabeça, e pegou o livro das palavras de Deus. Ela virou a página, e disse para seu filho, “Meu filho, leia esta passagem das palavras de Deus”. O filho pegou o livro e leu, “Além do nascimento e da criação, a responsabilidade dos pais na vida de um filho é simplesmente proporcionar-lhe um ambiente formal para crescer, pois nada, exceto a predestinação do Criador, tem relação com a sina da pessoa. Ninguém pode controlar que tipo de futuro uma pessoa terá; ele é predeterminado com grande antecedência e nem mesmo seus pais podem mudar a sina da pessoa. No que diz respeito à sina, todo e qualquer indivíduo é independente e todos têm a própria sina. Logo, os pais de pessoa alguma podem protelar a sina dessa pessoa na vida nem exercer a menor influência no papel que ela desempenha na vida. Pode-se dizer que a família em que uma pessoa é destinada a nascer e o ambiente em que ela cresce nada mais são do que as precondições para o cumprimento da sua missão na vida. De modo algum eles determinam a sina da pessoa na vida nem o tipo de destino em meio ao qual ela cumpre a sua missão. E, portanto, os pais não podem ajudar a pessoa a realizar sua missão na vida, nem os parentes podem ajudá-la a assumir seu papel na vida” (de “O Próprio Deus, o Único III”).“Quando a pessoa deixa seus pais e se torna independente, as condições sociais com que ela depara e o tipo de trabalho e carreira disponíveis são ambos decretados pela sina e nada têm a ver com seus pais. Algumas pessoas escolhem um bom curso na faculdade e acabam encontrando um emprego satisfatório após a graduação, fazendo um primeiro avanço triunfal na jornada de sua vida. Algumas pessoas aprendem e dominam muitas habilidades diferentes, mas nunca encontram um trabalho adequado para elas nem acham seu lugar, muito menos têm uma carreira; no início de sua jornada de vida, elas se veem frustradas a cada ocasião, atormentadas por problemas, por suas perspectivas sombrias e vida incerta. Algumas pessoas dedicam-se diligentemente aos estudos, mas perdem por pouco todas as chances de receber uma educação superior e parecem fadadas a nunca alcançar o sucesso, sua primeira aspiração na jornada da vida se dissolvendo no ar. Não sabendo se a estrada adiante é fácil ou cheia de pedras, elas sentem pela primeira vez quão cheio de variáveis é o destino humano e, portanto, veem a vida com esperança e medo. Algumas pessoas, apesar de não serem educadas muito bem, escrevem livros e alcançam certa fama; algumas, embora quase totalmente iletradas, ganham dinheiro nos negócios e com isso são capazes de sustentar-se (…) Independentemente de diferenças de habilidade, QI e força de vontade, todas as pessoas são iguais perante a sina, a qual não faz distinção entre o grande e o pequeno, o alto e o baixo, o exaltado e o humilhado. A função que a pessoa exerce, o que ela faz para ganhar a vida e a quantidade de riqueza que acumula na vida não são decididos pelos pais, pelos talentos, pelos esforços ou ambições da pessoa, mas são predeterminados pelo Criador” (de “O Próprio Deus, o Único III”).

Após ler essas palavras, a mãe disse, “Meu filho, a partir das palavras de Deus podemos ver que os destinos de todos são na verdade controlados pelas mãos de Deus. O nascimento e morte de todos, as circunstâncias familiares em que crescemos, e o trabalho que encontramos quando crescemos são todos predestinados por Deus. Você pensou que se seu pai ainda estivesse vivo, ele poderia encontrar um bom trabalho para você. Não é assim. Deus cuidadosamente arranjou para todos o trabalho que ele acha e o destino que ele tem, e seus pais não podem decidir o seu trabalho. Assim como seu pai, ele teve sonhos demais e lutou por eles, mas seus sonhos não se realizaram. Então este é o percurso que Deus nos predestinou, e também é decidido pela autoridade de Deus. Ninguém pode mudar isso. Algumas pessoas acham um bom trabalho sem esforço algum, alguns simplesmente não conseguem achar bons trabalhos apesar de passarem por muitas dores e buscarem conexões pessoais, e elas ficam exaustas e aflitas. Meu filho, nós cremos em Deus. Sabemos que tudo está nas mãos de Deus. Não confie na sua própria habilidade de buscar um trabalho como seu pai. Devemos confiar em Deus e ter um coração que se submete à Sua soberania e arranjos. Devemos crer que os arranjos de Deus são os mais adequados para nós”. As palavras de Deus e da mãe tocaram o coração do filho. Aos poucos um sorriso apareceu em seu rosto. Ele sabia o que as palavras de Deus que sua mãe lhe deixou ler queriam dizer. Era possível ver que ele aprovava e apreciava aquelas palavras.

Após um certo tempo, o filho achou um trabalho em outro lugar. Antes de sua partida, a mãe lhe disse novamente, “Meu filho, você deve se lembrar que seu destino é controlado por Deus. As condições sociais que você vai enfrentar e seu trabalho e carreira estão todos arranjados e predeterminados por Deus”. O filho segurou as mãos da mãe e disse com um sorriso, “Mãe, não se preocupe comigo. Vou me lembrar dessas palavras que você me disse para ler. Eu comprometi meu trabalho e tudo a Deus, pois os arranjos de Deus são os melhores”.

Agora são os últimos dias. Os desastres ocorrem com frequência e tornam-se cada vez maiores. Estes são os avisos e lembretes de Deus para a humanidade. Se você tiver quaisquer outras dúvidas ou quer saber mais sobre a volta do Senhor Jesus, como acolher o Senhor para ser arrebatado antes dos desastres, etc., sinta-se livre para clicar no botão a seguir para entrar em contato conosco. Se você quiser, pode se juntar ao nosso grupo de estudo.