Palavra de Deus do dia "A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III" | Trecho 79

461 03/07/2020

Foi dito 7 vezes no livro de Apocalipse, “Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas”. O Senhor veio secretamente e falou as igrejas. Ouviste as Suas palavras? Queres saber mais? Fique a vontade para nos contactar via bate papo ou juntar-se ao nosso grupo de WhatsApp.

Palavras do Senhor Jesus aos Seus discípulos depois da Sua ressurreição
João 20:26-29 Oito dias depois estavam os discípulos outra vez ali reunidos, e Tomé com eles. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, pôs-Se no meio deles e disse: Paz seja convosco. Depois disse a Tomé: Chega aqui o teu dedo, e vê as Minhas mãos; chega a tua mão, e mete-a no Meu lado; e não mais sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-Lhe Tomé: Senhor meu, e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque Me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.
João 21:16-17 Tornou a perguntar-lhe: Simão, filho de João, amas-Me? Respondeu-Lhe: Sim, Senhor; Tu sabes que Te amo. Disse-lhe: Pastoreia as Minhas ovelhas. Perguntou-lhe terceira vez: Simão, filho de João, amas-Me? Entristeceu-se Pedro por lhe ter perguntado pela terceira vez: Amas-Me? E respondeu-Lhe: Senhor, Tu sabes todas as coisas; Tu sabes que Te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as Minhas ovelhas.
O que essas passagens recontam são algumas das coisas que o Senhor Jesus fez e disse aos Seus discípulos depois da Sua ressurreição. Primeiro, vamos examinar as diferenças entre o Senhor Jesus antes e depois da ressurreição. Ele ainda era o mesmo Senhor Jesus dos dias passados? A Escritura contém o seguinte versículo, que descreve o Senhor Jesus depois da ressurreição: “Chegou Jesus, estando as portas fechadas, pôs-Se no meio deles e disse: Paz seja convosco”. É bem claro que o Senhor Jesus naquela época era não mais um ser de carne, mas um corpo espiritual. Isso porque Ele havia transcendido as limitações da carne e, mesmo com a porta fechada, Ele podia entrar em meio às pessoas e permitir que elas O vissem. Essa é a maior diferença entre o Senhor Jesus depois da ressurreição e o Senhor Jesus que vivia na carne antes da ressurreição. Embora não houvesse diferença entre a aparência do corpo espiritual daquele momento e a aparência que o Senhor Jesus tinha antes, Jesus naquele momento havia Se tornado um Jesus que parecia um estranho para as pessoas, pois Ele havia Se tornado um corpo espiritual depois de ressuscitar dos mortos e comparado à Sua carne anterior, esse corpo espiritual era mais enigmático e confuso para as pessoas. Também criava mais distância entre o Senhor Jesus e as pessoas, e estas sentiram em seu coração que o Senhor Jesus naquele momento havia Se tornado mais misterioso. Esses entendimentos e sentimentos por parte das pessoas de repente as trouxeram de volta à época da crença em um Deus impossível de ser visto ou tocado. Assim, a primeira coisa que o Senhor Jesus fez depois da ressurreição foi permitir que todos O vissem, para confirmar que Ele existia e confirmar o fato da Sua ressurreição. Além disso, isso restaurou Seu relacionamento com as pessoas tal como era antes, quando Ele operava na carne, e Ele era o Cristo que elas podiam ver e tocar. Dessa forma, um dos resultados é que as pessoas não tinham dúvidas de que o Senhor Jesus havia ressuscitado da morte depois de ter sido pregado na cruz, e não havia dúvida alguma na obra do Senhor Jesus para redimir a humanidade. E outro resultado é que o fato de o Senhor Jesus aparecer para as pessoas após a ressurreição e permitir que elas O vissem e O tocassem fixaram solidamente a humanidade na Era da Graça. A partir de então, as pessoas não puderam voltar à era anterior, a Era da Lei, devido ao “desaparecimento” ou “deserção” do Senhor Jesus, mas continuariam avançando, seguindo os ensinamentos do Senhor Jesus e a obra que Ele havia realizado. Assim, uma nova fase na obra da Era da Graça foi formalmente iniciada, e as pessoas que antes estavam sob a lei saíram formalmente da lei a partir de então e entraram em uma nova era, com um novo começo. São esses os múltiplos significados do aparecimento do Senhor Jesus para a humanidade após a Sua ressurreição.
Uma vez que Ele era um corpo espiritual, como as pessoas puderam tocá-Lo e vê-Lo? Isso tem a ver com o significado da aparição do Senhor Jesus para a humanidade. Vocês perceberam alguma coisa nessas passagens das Escrituras? De modo geral um corpo espiritual não pode ser visto nem tocado, e depois da ressurreição a obra que o Senhor Jesus havia assumido já estava concluída. Assim, em tese, Ele não tinha absolutamente nenhuma necessidade de voltar para o meio das pessoas na Sua imagem original para encontrá-las, mas a aparição do corpo espiritual do Senhor Jesus para pessoas como Tomé tornou seu significado mais concreto e penetrou mais profundamente no coração das pessoas. Quando Ele Se aproximou de Tomé, Ele deixou Tomé, o cético, tocar a Sua mão, e lhe disse: “Chega a tua mão, e mete-a no Meu lado; e não mais sejas incrédulo, mas crente”. Essas palavras, essas ações não eram coisas que o Senhor Jesus queria dizer e fazer somente depois que ressuscitou, mas sim coisas que Ele queria fazer antes de ser pregado na cruz. É evidente que o Senhor Jesus que ainda não havia sido pregado na cruz já tinha uma compreensão acerca de pessoas como Tomé. Assim sendo, o que podemos ver a partir daí? Ele ainda era o mesmo Senhor Jesus depois da Sua ressurreição. Sua essência não havia mudado. As dúvidas de Tomé não tinham começado ali, mas estavam com ele o tempo todo em que ele vinha seguindo o Senhor Jesus, mas Ele era o Senhor Jesus que havia ressuscitado dos mortos e voltado do mundo espiritual com a Sua imagem original, com o Seu caráter original e com a Sua compreensão da humanidade vinda do tempo em que viveu na carne; assim, Ele foi primeiro encontrar Tomé, deixar que Tomé tocasse na Sua costela, deixá-lo não apenas o ver Seu corpo espiritual após a ressurreição, mas tocar e sentir a existência do Seu corpo espiritual, e abandonar por completo suas dúvidas. Antes de o Senhor Jesus ser pregado na cruz, Tomé sempre duvidou que Ele era o Cristo, e não podia acreditar. Sua crença em Deus só se firmava com base no que ele podia ver com seus próprios olhos, tocar com suas próprias mãos. O Senhor Jesus tinha uma boa compreensão da fé desse tipo de pessoa. Eles só acreditavam em Deus no céu, e não acreditavam, em absoluto, nem aceitavam O enviado por Deus ou o Cristo na carne. Para que ele reconhecesse e acreditasse na existência do Senhor Jesus e que Ele era verdadeiramente Deus encarnado, Ele permitiu que Tomé estendesse a mão e tocasse na Sua costela. A dúvida de Tomé ficou diferente antes e depois da ressurreição do Senhor Jesus? Ele vivia constantemente duvidando, e excetuando uma aparição pessoal para ele do corpo espiritual do Senhor Jesus, permitindo que Tomé tocasse as marcas dos pregos no Seu corpo, ninguém poderia resolver suas dúvidas, e ninguém poderia fazê-lo abandoná-las. Então, a partir do momento em que o Senhor Jesus lhe permitiu tocar Sua costela e sentir realmente a existência das marcas de pregos, a dúvida de Tomé desapareceu, e ele compreendeu, verdadeiramente, que o Senhor Jesus havia ressuscitado e ele reconheceu e acreditou que o Senhor Jesus era o verdadeiro Cristo, que Ele era Deus encarnado. Embora nesse momento Tomé não duvidasse mais, havia perdido para sempre a chance de encontrar-se com Cristo. Ele havia perdido para sempre a chance de estar junto com Ele, de segui-Lo, de conhecê-Lo. Havia perdido a chance de que Cristo o aperfeiçoasse. O aparecimento do Senhor Jesus e as Suas palavras proporcionaram uma conclusão e um veredicto sobre a fé daqueles que estavam cheios de dúvidas. Ele usou Suas palavras e ações reais para dizer aos que duvidavam, para dizer àqueles que acreditavam apenas em Deus no céu, mas não acreditavam em Cristo: Deus não aprovava sua crença, nem aprovava sua maneira de seguir, que era cheia de dúvidas. O dia em que eles acreditaram plenamente em Deus e em Cristo só poderia ser o dia em que Deus completasse Sua grande obra. Naturalmente, esse também foi o dia em que sua dúvida recebeu um veredito. A atitude deles em relação a Cristo determinou seu destino, e sua dúvida obstinada significava que sua fé não lhes propiciava resultados, e sua dureza significava que suas esperanças eram em vão. Como sua crença em Deus no céu era alimentada por ilusões, e sua dúvida em relação a Cristo era realmente sua verdadeira atitude em relação a Deus, embora tivessem tocado nas marcas de pregos no corpo do Senhor Jesus, sua fé ainda era inútil e seu resultado só podia ser descrito como lutar contra o vento — isto é, em vão. O que o Senhor Jesus disse a Tomé também estava dizendo claramente a todas as pessoas: o Senhor Jesus ressuscitado é o mesmo Senhor Jesus que havia passado inicialmente trinta e três anos e meio operando em meio à humanidade. Embora Ele tivesse sido pregado na cruz e experimentado o vale da sombra da morte, e experimentado a ressurreição, todos os Seus aspectos não sofreram mudança alguma. Embora Ele agora tivesse marcas de pregos no Seu corpo, e embora tivesse ressuscitado e saído da sepultura, Seu caráter, Sua compreensão da humanidade e Suas intenções para com a humanidade não haviam mudado nem um pouco. Além disso, Ele estava dizendo às pessoas que havia descido da cruz, triunfado sobre o pecado, triunfado sobre as dificuldades e triunfado sobre a morte. As marcas de pregos eram apenas a prova da Sua vitória sobre Satanás, a prova de ser uma oferta pelo pecado, para conseguir redimir toda a humanidade. Ele estava dizendo às pessoas que Ele já havia assumido os pecados da humanidade e completado Sua obra de redenção. Quando Ele voltou para ver Seus discípulos, disse a eles por meio da Sua aparição: “Ainda estou vivo, ainda existo; hoje estou verdadeiramente de pé diante de vocês, para que vocês possam Me ver e tocar em Mim. Eu sempre estarei com vocês”. O Senhor Jesus também quis usar o caso de Tomé como uma advertência para as pessoas futuras: embora você acredite no Senhor Jesus, você não pode vê-Lo nem tocá-Lo, mas mesmo assim você pode ser abençoado pela sua verdadeira fé, e pode ver o Senhor Jesus através da sua verdadeira fé; esse tipo de pessoa é abençoado.
Essas palavras registradas na Bíblia que o Senhor Jesus disse quando apareceu a Tomé são uma grande ajuda para todas as pessoas na Era da Graça. Sua aparição e Suas palavras para Tomé tiveram um impacto profundo nas gerações futuras, e elas têm um significado eterno. Tomé representa um tipo de pessoa que acredita em Deus, porém duvida de Deus. São pessoas de natureza desconfiada, tem um coração sinistro, são traiçoeiras e não acreditam nas coisas que Deus é capaz de realizar. Não acreditam na onipotência e no governo de Deus, e não acreditam no Deus encarnado. No entanto, a ressurreição do Senhor Jesus foi para eles um tapa na cara, e também lhes proporcionou uma oportunidade de descobrir suas próprias dúvidas, de reconhecer suas próprias dúvidas e reconhecer sua própria traição e, assim, verdadeiramente acreditar na existência e na ressurreição do Senhor Jesus. O que aconteceu com Tomé foi um aviso e um alerta para as gerações posteriores, para que mais pessoas possam se precaver e não duvidar como Tomé, pois se o fizessem, afundariam na escuridão. Se você segue a Deus, mas, assim como Tomé, sempre quer tocar a costela do Senhor e sentir Suas marcas de pregos para confirmar, verificar e especular se Deus existe ou não, Deus abandonará você. Portanto, o Senhor Jesus requer que as pessoas não sejam como Tomé, acreditando apenas no que podem ver com seus próprios olhos, mas que sejam pessoas puras e honestas, que não abrigam dúvidas para com Deus, mas apenas creem Nele e O seguem. Esse tipo de pessoa é abençoado. Essa é uma exigência muito pequena do Senhor Jesus para com as pessoas e uma advertência para os Seus seguidores.

Extraído de “A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III”